NOTÍCIAS

NEWS

05/07/2017

Procuram-se crianças empreendedoras

Artigo de Guilherme Gonçalves publicado no Diário de Pernambuco

Alguns anos atrás, quando fiz meu primeiro projeto voltado para empreendedorismo para crianças recebi uma mensagem de uma mãe que reproduzo aqui: "Deveria ser proibido escrever as palavras 'criança' e 'empreendedorismo' na mesma frase". Como empreendedores, eu e o restante do grupo envolvido preferimos nos concentrar no que a grande maioria dos pais dizia, ou seja, exatamente o contrário. Hoje, não restam dúvidas de que cada vez mais essas palavras precisam estar conectadas.

 

Mas, vez por outra, volto ao pensamento daquela mãe indignada com a nossa proposta. Talvez, ela entenda empreendedorismo de uma forma pejorativa, que necessariamente tiraria da criança a alegria do brincar ou a inocência natural desta fase da vida. Preciso admitir que, se fosse desta forma, seria mesmo um equívoco. Empreendedorismo é muito mais do que abrir empresas e ganhar dinheiro.


Quando falo sobre crianças empreendedoras, significa que elas conseguem identificar-se como parte do mundo, capazes de enxergar os problemas que precisam ser resolvidos e as respectivas soluções inovadoras. Isso envolve várias habilidades relevantes para o século 21, como criatividade, iniciativa, pensamento crítico e capacidade de lidar com os desafios. Essas, sem dúvidas, são o tipo de criança que já fazem a diferença na escola e em casa, mas certamente farão muito mais no futuro. Podem vir a abrir novas empresas ou não. Esse não é o ponto central.

 

O empreendedorismo para as crianças pode ser dividido em quatro eixos básicos que estão totalmente interligados e são essenciais para a formação delas: cidadania, sustentabilidade, educação financeira e negócios. Após alguns anos, envolvido com um programa de empreendedorismo, no qual trabalho com crianças de 6 a 10 anos, constato que os resultados superam as expectativas. As crianças praticam esses quatro pilares, desenvolvem-se de forma extraordinária e se divertem muito.

 

Em outra experiência, é estratégico ser ainda mais prático porque trabalhamos com projetos específicos e abertos para crianças de 8 a 12 anos. São quatro os temas: educação financeira, produto e mercado, gestão de empresas, e negócios digitais. Cada tema tem seus próprios desafios, todos com o mesmo objetivo de engajar turmas de pré-adolescentes. O interessante deste projeto é que cada um desses cursos ou oficinas pode ser levado para dentro das escolas interessadas ou a qualquer grupo fechado de crianças.


Empreendedorismo e crianças na ABA

O programa de Empreendedorismo da Global School tem os 4 pilares que o artigo faz referência. Veja como cada um deles é aplicado na prática:

1. Cidadania: compreender quem são e os papéis que exercem na sociedade, tendo consciência sobre valores importantes como respeito, responsabilidade, justiça, honestidade e perseverança.

2. Sustentabilidade: alcançar uma visão sistêmica, percebendo que o mundo precisa de cuidados, desde o seu próprio corpo, sua cidade até o planeta.

3. Educação Financeira: cuidar das finanças pessoais sendo capaz de valorizar o trabalho, a utilidade das coisas, seus sonhos e suas conquistas, sem esquecer a solidariedade.

4. Negócios: entender como funciona o mundo das empresas, simulando e refletindo sobre trabalho, equipe, relacionamentos, produtividade, marketing, concorrência e muito mais, sempre simplificando para a realidade das crianças.


Na School4Life, cada um dos temas citados faz parte de um programa da escola, podendo ser feito como uma oficina rápida, com 3 ou 4 horas de duração, ou mais aprofundado ao longo de encontros de 1 hora por semana durante 4 meses. São eles:

1. Educação Financeira: domine o seu bolso!

2. Produto e Mercado: venda o seu peixe!

3. Gestão de Empresas: gerencie seu negócio!

4. Negócios Digitais: viva o mundo da Internet!

Fique atento ao calendário da escola para saber quais programas estão abertos para seu filho.



voltar para noticias