Aluno da ABA foi aceito em Cambridge

Blog

Aluno da ABA foi aceito em Cambridge

Entrevista/Matheus Costa

O aluno da ABA Global Education, Matheus Costa, que estampou as páginas de jornais nacionais por ter tirado a maior nota na prova de Matemática do ENEM 2014, também é motivo de orgulho pra gente porque foi aceito para fazer graduação na Universidade de Cambridge, na Inglaterra, mas ainda aguarda o resultado das aplicações para outras universidades americanas.

Pernambucano, com 17 anos de idade, Matheus estuda inglês na ABA desde os nove anos erecebe orientação do ABA Global Career Center no processo de admissão para universidades estrangeirashá mais de um ano.

Nesta entrevista, Matheus, que pretende ser Físico e trabalhar fazendo pesquisas em universidades,diz porque optou por estudar fora do Brasil, dá dicas sobre a rotina de estudo e ressalta a importância da fluência no inglês.

-Por que optou por estudar numa universidade fora do Brasil?

Basicamente, porque no exterior eu posso ter uma educação diferenciada, maior interação com outras culturas e encontrar mais oportunidades de pesquisa na minha área (Física). O Brasil não é o local ideal para eu desenvolver minha carreira acadêmica porque, entre outros fatores, a profissão de Físico não é nem regulamentada aqui.

-Qual a importância de estudar na ABA desde cedo e qual a diferença que a orientação do ABAGlobal Career Center fez no processo de admissão para universidades fora do Brasil?

Estudar na ABA desde 2005 foi muito importante pra mim porque me fez atingir um bom nível de inglês relativamente cedo e, sobretudo, pelas diversas atividades das quais participei ao longo dos anos (kids4the world, conversas com americanos/ingleses, etc.) pude ter uma noção do alcance que saber falar inglês iria me dar. Quanto à orientação de Danyelle e Débora,do ABA Global Career Center, eu só tenho elogios e agradecimentos, pois elas me ajudaram a entender todo o processo de aplicação pra universidades no exterior, se desdobraram para resolver os problemas que surgiram e sempre estavam disponíveis quando eu precisava de ajuda.

-Segundo as próprias orientadoras do ABA Global Career Center, você é um “aluno brilhante e muitíssimo focado no futuro”. Ao que você credita o feito do ENEM e a aceitação numa universidade reconhecida mundialmente como Cambridge?

Primeiramente, eu dou o crédito aos meus pais que me estimularam e apoiaram desde que eu era pequeno, sempre alimentando minha curiosidade e gosto pelo saber. Também dou o devido crédito aos professores que me ensinaram e estimularam a ir além do conteúdo escolar. Finalmente, à minha própria determinação em estar sempre aprendendo mais, independentemente do que poderia %u201Ccair na prova%u201D. Isso também teve um papel importante.

-Você aplicou para quais universidades americanas?

Além de Cambridge, Harvard, Yale e Princeton, eu também me apliquei para Stanford, Universityof Minnesota (TwinCities) e GrinnellCollege.

-Qual a diferença que estudar inglês e ser fluente no idioma fez na sua vida?

Além do fato de saber inglês ter possibilitado que eu aplicasse para todas essas universidades no exterior, não tenho dúvidas de que ter fluência no idioma me dará muitas oportunidades no futuro. Creio que não serão apenas oportunidades acadêmicas e profissionais em outros países, mas também tornará muito mais fácil e simples a visita a outros países e culturas e a formação de amizades ao redor do mundo.

-Qual o conselho você daria àqueles (crianças, jovens e até adultos) que começaram a estudar inglês, mas desistiram e não priorizam o aprendizado do idioma?

Meu conselho é que recomecem os estudos e tentem integrar o uso da língua no seu dia-a-dia o máximo possível, pois a importância do inglês nos dias de hoje é enorme, não só no mundo acadêmico/profissional, mas também na vida pessoal.

-Quantas horas você costuma estudar por dia? E quanto desse tempo você dedicava ao estudo do idioma inglês?

Bem, eu geralmente estudava nas sextas-feiras o assunto dado no colégio durante a semana (2-3 horas) e no final de semana fazia um estudo mais amplo (3-4 horas). Também estudava (e estudo) as matérias de exatas sem um horário regular por paixão por essas áreas. Quanto ao inglês, nos últimos 4-5 anos eu desenvolvi o hábito de ver vídeos e ler textos em inglês.

-O que você acha da educação no Brasil?

No Brasil, não é dada a devida atenção à educação, nem pelo governo e muito menos pelo povo. Além disso, os professores não são respeitados nem bem pagos, e o sistema de vestibular atual muitas vezes tira o foco do aprendizado.

Print Friendly, PDF & Email
ABA Global Education

ABA Global Education é um centro educacional com serviços de ensino de idiomas, escola infantil e fundamental, orientação para estudos e carreira no exterior, escola de habilidades do século 21, laboratórios maker e de fabricação digital, treinamento para educadores e gestores, e centro de eventos para negócios.

No Comments

Post a Comment

Comment
Name
Email
Website