Arte de viver

Arte de viver

Por Eduardo Carvalho, Diretor do Global Citizenship Institute.

Viver a espera do amanhã, sonhar em ter a vida que gostaria de viver após aposentar-se, submetendo-se a passar anos exercendo atividades em ambiente nocivo ao bem-estar tende a fazer uma pessoa perder o prazer de gozar o presente que a vida oferece a cada dia e pode ter como consequência o surgimento de doenças graves. O medo, o mau humor, a ausência de propósito de vida podem causar danos ao cérebro humano. 

Muitas pessoas se concentram em lamentar “o que não conseguiram realizar” e não compreendem que a experiência do passado só pode servir de lição para  o presente e futuro, e que  tristezas roubam a energia necessária para viver. Aprender a esquecer  é uma lição a ser aprendida, pois o passado é imutável. Os maiores inimigos de uma pessoa vivem dentro da sua própria mente, na sua imaginação, nas falsas ideias que têm sobre a vida. O coração puro, um corpo saudável, um espírito generoso constituem uma fonte de juventude que cada um pode encontrar em si próprio. 

Aprenda a acordar alegre, com energia e ambição para fazer o bem. Curta os prazeres de ler um livro, escutar uma música, caminhar, admirar a natureza, brincar com uma criança.  Cultive a renovação profissional, o pensamento positivo, a gratidão, os bons-hábitos, a verdade, a afeição, a simplicidade, a amizade, a generosidade e o amor. Modere a linguagem, o tom de voz e a atitude. O tom sarcástico, rabugento, irônico é a causa da infelicidade na família, desgaste de relações, pessoais, sociais e profissionais. 

Seja ambicioso e jamais ganancioso. Ser rico em dinheiro e pobre em sentimentos é ser  miserável. A doença do dinheiro tende a destruir relações. Nenhum ganancioso pode ser feliz. Uma das maiores frustrações de muitos ricos é não poder comprar felicidade com dinheiro. Não acumularam a riqueza do caráter, da afeição, da simpatia, da empatia. A boa ambição é a que consiste no desejo de enriquecer a moral e o intelecto, de cumprir o melhor possível à missão, de crer nas pessoas e em si, de ser mais útil ao mundo.   

Avalie as roupas que não usa mais, os livros que já leu ou os que estão na estante, mas nunca serão lidos, e doe. Isso pode ter um grande valor para quem não os têm. A felicidade pode ser estrangulada pela avareza. Sempre há algo que pode ser doado a alguém.

A arte de viver bem exige sabedoria e perseverança, e consiste na relação harmoniosa entre todas as partes do corpo e da mente. É produto das experiências, pensamentos e ações de cada um, e deve ser cultivado desde criança.  Habituar uma criança a crer na felicidade, permitir que ela esbanje alegria. Proporcionar a ela um ambiente saudável é fundamental para o seu bem-estar e para que ela seja um adulto feliz.

Júlia Melo
No Comments

Post a Comment

Comment
Name
Email
Website