Valorize a escola

Blog

Valorize a escola

A edição de janeiro de 2016 (número 118) da revista Algo Mais publicou um artigo de Eduardo Carvalho, diretor executiva da ABA Global Education e fellow da Harvard University. Sem limitações de espaço como na revista, reproduzimos a seguir o artigo original.

Valorize a escola
Por Eduardo Carvalho

Pesquisas indicam que educação é prioridade número um em qualquer lugar. Os países mais desenvolvidos têm sistema educacional entre os melhores do mundo. Educação é um serviço que envolve um processo complexo e cujos benefícios são percebidos apenas a longo prazo.

Os pais precisam ter paciência ao lidar com a educação dos filhos. A alfabetização de uma criança ocorre após alguns anos. O aprendizado fluente de um idioma ocorre após muitos anos. Às vezes, esse longo processo gera ansiedade nos pais. Alguns comparam seu filho com outras crianças, como se o ser humano fosse uma máquina programável para obter resultados padronizados. No caso de aprendizados extracurriculares (idioma, esporte etc.) o prejuízo da decisão de “não fazer ou não perseverar” só será constatado no futuro, com a perda de oportunidades. Para eliminar essa ansiedade, o importante é, antes de a criança começara estudar, investir tempo para pesquisar por um modelo escolar que possa proporcionar uma educação verdadeiramente diferenciada.

A decisão de escolha da escola deve ser feita com base em critérios educacionais e valores familiares e não apenas pela comodidade. Para associar os critérios educacionais e a comodidade, nos EUA, por exemplo, é padrão os pais escolherem o local da residência em função da escola que desejam para os filhos.

Minimizar a decisão da escolha da escola pode privar os educandos de oportunidades no futuro. Na escola, o aluno tem a oportunidade de desenvolver valores, estabelecer rede de amizades, além de conhecimentos, competências e habilidades. Cada escola, com seu modelo educacional, é um conjunto único que faz diferença na formação do educando. A escola é um sistema fantástico. Muitos não conseguem ter a verdadeira noção de quantas variáveis estão envolvidas.

Quando os pais valorizam a escola, o desenvolvimento do aprendizado dos alunos é favorecido. O que significa valorizar a escola? Primeiro de tudo estabelecer relação de parceria e ter visão clara que, como eles, a escola quer o melhor para seus filhos. Entretanto, há pais que não priorizam a escola: ficam inadimplentes, chegam com o filho atrasado, propagam apenas o que não gosta da escola, criam inimizades com outros pais e até crianças, etc. Essas posturas comprometem a relação escola-família e como os pais são modelos para as crianças, vão ter impacto nelas também.

Quando uma família tem graves questionamentos em relação à escola do filho, precisa urgentemente buscar outra que compartilhe com seus valores. Ao conversar com o filho para explicar o porquê da mudança de escola, estará dando uma lição de dignidade e honestidade. Uma lição para a vida.

ABA Global SchoolEm uma escola do século 21 os alunos têm 6, 7 ou mais professores. As crianças hoje em dia são super estimuladas. As salas precisam oferecer conforto, oportunidades para trabalhar em grupo, recursos e treinamentos para o professor preparar aulas desafiadoras e estimulantes. Os alunos precisam aprender a buscar o conhecimento para exercer suas profissões no futuro e desenvolver as habilidades do século 21. Cabe à escola colaborar com esse processo. O investimento exigido para a implantação de uma escola de qualidade é elevado. E para que tenha um padrão compatível com os modelos dos países desenvolvidos é necessário treinar professores, adquirir recursos didáticos e tecnológicos, contratar educadores internacionais, firmar boas parcerias. A escola precisa de área para lazer para a prática de esportes, auditório/teatro. Pela lei de uso de solo precisa também ter estacionamento e área verde.

Com tantas exigências, são raras as pessoas que, com visão de maximizar seu investimento, desejem implantar uma escola. Anuidades cobradas no Recife são muito inferiores às da região Sul/Sudeste. A relação família-escola é intensa e, muitas vezes, o serviço e a estrutura oferecidos são pouco reconhecidos.

A escola privada existe porque o Estado não tem como oferecer educação para todos. Logo, deveria ser vista pelo Estado como parceira, mas é punida com excesso de controle sobre os valores cobrados, que desconsideram os investimentos em infraestrutura e qualificação dos profissionais para oferecer uma educação diferenciada. Isto faz com que muitas escolas não possam ter um plano de carreira para os professores e coordenadores e encham as salas de aulas com 50 ou mais alunos.

A educação no Brasil deixa muito a desejar. No Norte/Nordeste, a qualidade é inferior ao restante do país. Poucas são diferentes. Na rede pública a situação é ainda pior. São raras as exceções que conseguem superar esta situação. Em Pernambuco não é diferente. Não é à toa que das 620 escolas do ensino médio de Pernambuco que participam do ENEM, apenas cinco estão entre as 200 melhores do Brasil.

Como o Brasil-Pátria educadora quer ter um sistema educacional de classe-mundial remunerando a escola com restrição, criando uma cultura em que o valor pago pela educação é absurdo? A carreira do professor, coordenador precisa ser muito mais valorizada. Com ajuste apenas inflacionário, autorizado por órgão de defesa do consumidor, e com o governo investindo mal a parte do PIB que reserva para educação, não há nenhuma possibilidade de transformarmos o nosso sistema educacional em sistema de classe-mundial.

ABA Admin

ABA Global Education é um centro educacional com serviços de ensino de idiomas, escola infantil e fundamental, orientação para estudos e carreira no exterior, escola de habilidades do século 21, laboratórios maker e de fabricação digital, treinamento para educadores e gestores, e centro de eventos para negócios.

No Comments

Post a Comment

Comment
Name
Email
Website