NOTÍCIAS

NEWS

18/06/2018

Rede de impacto global

Uma iniciativa de grande impacto social global nasce quando se acredita que é possível colaborar para o mundo melhor, mais digno.

Artigo publicado no Jornal do Commercio, Recife, 8 de junho de 2018.


Rede de impacto global
Eduardo Carvalho, Harvard fellow, diretor da ABA Global Education



Uma iniciativa de grande impacto social global nasce quando se acredita que é possível colaborar para o mundo melhor, mais digno. Comprometidos com esse objetivo, os professores da Harvard University, Rakesh Kurana, Nitin Nohria e a professsora Rosabeth Kanter, conceberam um projeto inovador, mudando o conceito de aposentadoria.

Eles estabeleceram um terceiro estágio para a educação superior. Outros professores associaram-
se a ao grupo e criaram uma diretoria, multidisciplinar, que representa as faculdades de pós-graduação de negócios, direito, educação, saúde pública, governo e a faculdade de graduação.


O projeto transformou-se numa fellowship. O primeiro grupo de fellows selecionado iniciou as atividades em 2009. Desde então, novos grupos são formados anualmente. A rede conta, hoje, com cerca de 300 fellows. São originários de organizações com fins de lucro, do terceiro setor e governamentais. Muitas dessas instituições têm atuação global.

Os fellows estão aptos a se transformar em agentes de mudança, comprometidos em resolver os problemas sistêmicos. Há fellows de várias nacionalidades, inclusive seis brasileiros.

Todos com experiências multiculturais, comprometidos em desenvolver projetos de grande impacto
social.


No primeiro ano da fellowship, há encontros semanais para discutir casos reais, baseados em pesquisas realizadas pela universidade. É natural a interação do grupo com professores/autores de livros e de projetos inovadores. O grupo aprende sobre as melhores práticas dos vários sistemas de uma nação. Os recursos intelectuais, de pesquisa e tecnológicos da universidade ficam ao dispor do grupo, para que desenvolvam os próprios projetos. Há participação rotineira em conferências com prêmios Nobel, CEOS de grandes empresas, líderes governamentais, representantes de organizações internacionais. As interações ocorrem em Harvard e universidades vizinhas, como MIT, Boston University e Northeastern. Boston é o maior e melhor pólo educacional do mundo. O diferencial cria um parque de inovação extraordinário.


No final do primeiro ano de convivência intensa do grupo, cada fellow apresenta seu projeto à comunidade de Harvard, comprometendo-se em implantá-lo. A partir de então, participam de encontros promovidos pela universidade, no próprio campus ou noutros países. A rede de fellows cresce todos os anos, é colaborativa, global e comprometida em melhorar o mundo. Universidades nos Estados Unidos, como Columbia, Yale e Stanford criaram modelo semelhante. Noutros países, também há o mesmo propósito.



voltar para noticias